Câncer X Alumínio: existe relação?

As taxas de câncer de mama têm aumentado significativamente nos últimos anos. E vemos muitos estudos relacionando câncer e alumínio, como sendo uma das fontes para este aumento.

Em especial, se fala nos sais de alumínio, encontrado em diversos produtos cosméticos — principalmente nos antitranspirantes — como causa potencial do câncer de mama.

Mas o fato é que até o momento não há qualquer estudo conclusivo que confirme esta relação. Assim como também não há ao contrário, eliminando qualquer ligação.

Para abordar este assunto de forma mais completa, preparei o artigo abaixo com algumas informações que considero relevantes ao tema. Vamos conferir?

Os disruptores endócrinos

Antes de entrarmos no efeito do alumínio no corpo, precisamos compreender o que são os disruptores endócrinos. 

Eles são produtos químicos que imitam, bloqueiam ou interferem nos hormônios do sistema endócrino do corpo. 

Os disruptores são encontrados em todo o nosso ambiente — alimentos, pesticidas, roupas, plásticos, produtos de higiene pessoal e beleza, produtos de limpeza.

E sim, o alumínio é um dos disruptores endócrinos, que inclui ainda parabenos, triclosan, ftalatos, fitoestrogênios, pesticidas, e o Bisfenol-A (BPA).

Esses produtos químicos podem se comportar como hormônios em nosso corpo, confundindo os hormônios reguladores fazendo-os pensar que há muito ou pouco desse hormônio ou bloqueando os efeitos de nossa própria produção hormonal.

O impacto do alumínio no nosso corpo

Existem muitas maneiras pelas quais os humanos podem ser expostos ao alumínio. Os estudos em humanos geralmente se concentram na ingestão e inalação, muitas vezes em ambientes ocupacionais.

Mas o alumínio também pode ser absorvido pela pele, especialmente pele danificada pelo barbear, e pode se acumular no corpo com o tempo como resultado desse tipo de exposição. 

Isso é potencialmente relevante para o câncer de mama porque os antitranspirantes, que geralmente contêm alumínio para prevenir a transpiração, são aplicados na pele, perto da mama.

Os efeitos do alumínio na saúde têm sido amplamente investigados, com foco particular em doenças neurológicas, entre outras. 

O alumínio foi investigado como um possível carcinógeno porque pode danificar o DNA e prevenir o reparo do DNA, que são mecanismos bem conhecidos de carcinogênese (formação de câncer). 

Isso levou à hipótese de que o alumínio nos antitranspirantes poderia penetrar na pele, acumular-se na mama e causar a formação de tumores ao danificar o DNA.

Estudo em ratos

Um estudo recente em ratos relatou evidências que sustentam essa hipótese. Células mamárias de camundongos tratadas com cloreto de alumínio, em concentrações que foram detectadas no tecido mamário humano, formaram grandes tumores metastáticos quando implantadas de volta em camundongos. 

A julgar por este estudo, parece plausível que os antitranspirantes à base de alumínio possam causar câncer de mama.

Mas estudos epidemiológicos são necessários para determinar se isso acontece em humanos no mundo real.  

Prefira outras opções

Enquanto estudo mais conclusivos não são realizados — e confesso particularmente não acreditar que eles venham a ser feitos — busca alternativas aos produtos com alumínio.

Antitranspirantes e desodorantes sem alumínio estão amplamente disponíveis. Para encontrar antitranspirantes ou desodorantes sem alumínio mais seguros, procure sempre ler o rótulo, onde indicará os ingredientes presentes.

E vale lembrar que além do antitranspirante, ele também está em alguns produtos de maquiagem. Novamente, leia a embalagem e prefira os chamados toxic free.

Desta forma você protege seu corpo dos disruptores endrócrinos, evitando alterações nos hormônios e que podem resultar em várias doenças, incluindo aí o câncer.

E para acessar mais informações como sobre a relação entre o câncer e o alumínio, siga também minhas redes sociais. Lá sempre compartilho muito conteúdo informativo!

Até a próxima,

Dra. Ana Baccarin.